• O gênero da modernidade e o gênero da teologia: impactos socioculturais do pensamento masculino
Neiva Furlin

Abstrato

A partir da perspectiva sociocultural e da crítica feminista, este trabalho evidencia que a teologia histórica, a ciência moderna e outras narrativas sobre a modernidade tiveram em comum a perspectiva androcêntrica do conhecimento. Sob a inspiração da obra de Rita Felski, The Gender of Modernity, construímos uma analogia entre o pensamento teológico e os relatos da modernidade, mostrando como o conhecimento masculino produziu representações simbólicas que trouxeram impactos na organização social e eclesial. É um pensamento com poder performativo, que universalizou e institucionalizou estruturas hierárquicas e androcêntricas; invisibilizou as experiências femininas na condução dos processos históricos; produziu e legitimou a desigualdade de gênero e a posição subalterna das mulheres, no interior das instituições socioeclesiais.

Abstract

Based on a sociocultural perspective and feminist criticism, this article shows that historical theology, modern science and other narratives on modernity always had in common the androcentric perspective of knowledge. Inspirated by Rita Felski’s work, The Gender of Modernity, it constructs an analogy between theological thinking and accounts of modernity, showing how the male knowledge produced symbolic representations that gained impacts on social and ecclesial organization. This thinking has performative power and universalized and institutionalized hierarchical and andocentric structures, turned invisible women’s experiences in the course of the historical processes, and also produced and legalized gender inequality and the subordinate position of women within social and ecclesial institutions.

Palavras-chave

gênero; modernidade; teologia; crítica feminista; pensamento masculino

keywords

gender; modernity; theology; feminist criticism; male thinking

Texto completo: PDF



DOI: 10.5354/0719-0417.2014.36409